Qual a melhor idade para começar a trabalhar?

Durante a transição entre a infância e a adolescência, é comum que os jovens comecem a buscar formas de conquistar a independência financeira — afinal de contas, nada como ter autonomia e liberdade na hora de comprar produtos e fazer escolhas. E como mais realizar essa vontade, senão entrando no mercado de trabalho?

No entanto, nem sempre é fácil entender qual é a melhor idade para começar a trabalhar, por exemplo. Então, se você tem dúvidas quanto ao ingresso no mercado de trabalho durante a adolescência, acompanhe a leitura, esse post foi escrito especialmente para você!

Qual é a melhor idade para começar a trabalhar?

De acordo com a Lei da Aprendizagem (Lei 10.097/00), jovens entre 14 a 24 anos incompletos já podem para entrar no mercado de trabalho. A lei, que tem como principal função facilitar a entrada desse grupo no mercado de trabalho, permite que os jovens ampliem suas perspectivas para o futuro e desenvolvam habilidades profissionais.

No entanto, é importante ressaltar que, para entrar no mercado de trabalho, menores de 18 anos devem participar do programa jovem aprendiz. Essa regra existe para impedir a exploração do trabalho infantil e proteger.

Onde é possível encontrar um trabalho para aprendiz?

A oferta de vagas para aprendizes é muito grande, porque, as empresas de médio e grande porte são obrigadas por lei a ter entre 5% e 15% da mão de obra da empresa composta por aprendizes. 

Neste contexto, grandes empresas como Petrobrás, Correios, Banco Itaú, Caixa, Banco do Brasil, Vivo e Oi abrem processos de seleção todos os anos para jovens aprendizes com o intuito de manter o seu quadro de pessoal.

Entretanto, é importante dizer que as vagas nessas empresas são extremamente concorridas. Isso ocorre porque além delas agregarem experiência ao currículo, proporcionam os melhores benefícios e salários para o aprendiz.

Contudo, caso você não consiga uma dessas vagas, seguir para a indústria ou para o varejo pode ser uma boa ideia, já que esses segmentos são os que mais contratam aprendizes. As empresas de vendas, por exemplo, são consideradas o berço das oportunidades para os jovens que buscam o primeiro emprego

Quais são os pré-requisitos para ser aprendiz?

Os pré-requisitos para ser um aprendiz variam de acordo com a empresa que oferta a vaga, pois, cada uma delas impõe as próprias exigências. No entanto, existem alguns requisitos que são comuns a todas elas. Confira quais são:

  • embora o programa se estenda aos jovens de até 24 anos, as empresas costumam recrutar jovens de 14 a 21 anos;
  • os candidatos devem estar devidamente matriculados no ensino fundamental ou médio;
  • além de estar matriculados, os aprendizes precisam estudar e ter boa frequência na escola;
  • o candidato deve ter disponibilidade para cumprir a jornada de trabalho de 6 horas;
  • o candidato precisa estar inscrito em algum programa de aprendizagem de uma entidade qualificada — ONG, escola técnica ou sistema S — em formação técnico-profissional para aprimorar habilidades na área que atuará na empresa;

Quais são os direitos trabalhistas do aprendiz?

Os direitos trabalhistas do aprendiz não são muito diferentes dos direitos de um trabalhador comum. O salário, por exemplo, deve ser, pelo menos, o mínimo previsto em lei. Além disso, a carteira de trabalho do aprendiz deve ser assinada e as férias e o 13° pagos integralmente pela empresa. Confira outros benefícios:

  • carga horária de trabalho de apenas 6 horas, podendo ser estendida para 8 horas caso o estudante esteja no ensino médio.
  • vale-transporte;
  • vale-refeição;
  • plano de saúde;
  • possibilidade de efetivação na empresa.

Dessa forma, a maior diferença é no contrato com prazo determinado, que é até de até 2 anos. Por causa desse detalhe, caso o contrato do aprendiz seja concluído ou interrompido, a empresa contratante fica desobrigada de pagar indenizações como: multa sobre o FGTS e aviso prévio.

Como conciliar a rotina entre trabalho e estudo? 

Manter uma rotina saudável, conciliando o trabalho e o estudo não é nada fácil. As pessoas que precisam lidar com os desafios da jornada dupla sabem que o foco e a dedicação são fundamentais para obter êxito nas tarefas diárias sem deixar o cansaço vencer.

Contudo, é possível vencer os obstáculos que aparecem no cotidiano adotando alguns métodos simples durante a rotina. Confira:

Otimize o seu tempo sendo seu próprio gestor

É muito importante que você aprenda a otimizar o seu tempo. Uma boa forma de fazer isso é imaginar que a sua vida é como uma empresa em que departamentos distintos com tarefas específicas precisam de coordenação. A sua coordenação!

Você sabe quais são as demandas de cada um desses departamentos? Sabe o que é preciso para alcançar seus objetivos no trabalho e nos estudos? Pensar assim permite que você entenda a importância de se organizar e se dedique tanto ao estudo quanto ao trabalho com equilíbrio.

Estabeleça suas prioridades

Agora que você tem uma visão mais geral da sua rotina, é preciso entender quais são as suas prioridades. Caso você esteja em uma semana de provas, o foco deve estar mais voltado para os estudos. No entanto, se seu chefe pedir para que você se dedique a uma certa atividade, é importante que sua atenção fique voltada para ela. 

No momento em que você estabelecer as suas prioridades, saberá exatamente o que deve ser feito e a ordem em que deve ser feito para concluir as tarefas com sucesso.

Faça um cronograma de atividades

Uma boa maneira de colocar toda essa teoria em prática é montar um cronograma de atividades. Escolha um determinado dia de cada semana e planeje a semana seguinte indicando os horários e os dias para cada tarefa que você precisa realizar. 

Durante a montagem desse cronograma, não se esqueça de incluir os momentos de descanso e lazer. Nada de abrir mão desses momentos, certo? Eles são fundamentais para manter sua saúde mental, física e emocional. Equilíbrio é a palavra-chave!

Não se sobrecarregue

É comum que as pessoas que trabalham e estudam se sobrecarreguem com funções extras. Mas é preciso tomar cuidado com isso: assumir mais responsabilidades do que é possível cumprir pode acabar prejudicando sua rotina de estudos e interferindo na qualidade do seu trabalho. Nada bom, não é?

Faça adaptações na rotina

Quando se ingressa no mercado de trabalho, é preciso fazer ajustes nos horários, uma vez que o tempo que era dedicado exclusivamente à escola é reduzido.

Por isso, para se dedicar verdadeiramente aos estudos, planeje a sua semana com o objetivo de não deixar as tarefas acumularem. Nesse sentido, uma boa dica é separar uma hora do seu dia para revisar os conteúdos e fazer exercícios. 

Caso você estude a noite e tenha uma carga horária de oito horas, estudar acabará parecendo mais desafiador e cansativo. Para driblar esse problema, que tal transformar os conteúdos estudados na sala de aula em áudios para ouvir no caminho até o trabalho? Pode ser uma boa saída!

E aí, nosso post ajudou você a entender qual é a melhor idade para começar a trabalhar? Então siga a gente nas redes sociais e fique por dentro de mais conteúdos como esse — estamos noFacebook, Youtube e Instagram