Guia prático para conseguir o primeiro emprego

guia-pratico-para-conseguir-o-primeiro-emprego.jpeg

Você está terminando o ensino médio e não sabe o que fazer para conseguir o primeiro emprego? Então você está no lugar certo! Com este guia você saberá como se preparar para o mercado e onde encontrar as melhores vagas.

Aqui você terá várias dicas práticas de como montar um currículo de primeira e quais são as principais opções de empregos para jovens no Brasil. Apesar da grande concorrência e das dificuldades que os novatos encontram, é possível obter sucesso na busca pelo primeiro emprego mesmo com pouca ou nenhuma experiência.

O melhor de tudo é que você pode fazer tudo isso sem precisar de grandes investimentos em cursos de graduação. Mesmo que para você cursar uma faculdade seja um sonho distante, é importante que você busque opções alternativas para se qualificar e criar um diferencial competitivo no currículo.

Preparado para entrar no mercado e começar a mudar de vida agora mesmo? Vamos lá!

Como preparar-se para o primeiro emprego?

O caminho para conseguir o primeiro emprego pode ser um pouco assustador no começo. Isso é comum. Afinal, você ainda não tem outras experiências profissionais e ainda se sente inseguro em relação a qual área realmente te interessa.

Embora existam alguns desafios para a entrada dos jovens no mercado de trabalho, também há diferentes alternativas que podem ser grandes aliadas na sua busca. Uma delas é a própria internet!

Por meio da web você poderá fazer testes vocacionais para descobrir seu setor de interesse, pesquisar por cursos online gratuitos e ainda buscar por opções de cursos profissionalizantes que caibam no seu orçamento.

A vantagem desses cursos é que eles duram menos tempo do que uma faculdade e são muito mais baratos. Você verá que existem programas e instituições que oferecem aulas de idiomas, informática, administração e outros setores do mercado por um preço acessível e com uma grade curricular de qualidade.

Ao ter esse tipo de formação, você conseguirá adquirir novos conhecimentos que servirão como base para aquilo que o mercado de trabalho busca. Além disso, durante o curso você aprenderá a trabalhar em grupo, a superar a timidez e a descobrir novas habilidades — ampliando ainda mais suas oportunidades.

Como montar um currículo excelente?

O currículo será o seu cartão de visita e, por isso, ele deve ser bem-feito para agregar valor à sua candidatura. Especialistas em carreiras afirmam que, em média, os empregadores levam cerca de sete minutos para ler um currículo.

Para não decepcionar o entrevistador, o melhor a fazer é caprichar na apresentação e ficar atento a algumas regrinhas sobre o planejamento da estrutura do seu documento. O modelo tradicional de currículos ainda é a melhor opção para quem está começando.

Faça o seu em papel branco, com margens fixas e com fontes legíveis na cor preta. Se você não tiver computador em casa, peça ajuda a um amigo. No mercado de trabalho, currículos feitos à mão não são vistos com bons olhos. De forma mais detalhada, veja outras dicas para montar um bom currículo e conquistar o primeiro emprego:

Exponha seus dados pessoais no início do documento

A primeira parte do seu currículo será uma espécie de cabeçalho, no qual você deverá incluir nome completo, idade, nacionalidade, endereço, telefones e outros meios de contato. Se você ainda não tiver um e-mail profissional, melhor criar um. E-mails do tipo “tatagatinha16@gmail.com.br” não são apropriados!

Descreva seu objetivo em uma ou duas frases

Seu objetivo deverá ser indicado com apenas uma área de interesse. Se você for se candidatar para oportunidades em diferentes setores, personalize esse campo de acordo com a vaga. Escreva de forma clara, direta e simples. Exemplo: “Estou à procura de uma oportunidade para desenvolver minhas habilidades e conhecimentos. Gostaria de atuar no setor de (setor escolhido), buscando a satisfação pessoal e profissional sempre de acordo com os valores da empresa.”

Um erro comum entre os candidatos é listar as habilidades profissionais nessa parte. Não faça isso, ok?

Liste sua formação acadêmica

Depois dos dados pessoais e do seu objetivo, é hora de informar ao empregador a sua formação. Nesse campo você deverá listar todos os cursos, diplomas e outras capacitações que você possui. Lembre-se sempre de seguir a seguinte ordem: nome do curso, instituição de ensino, ano de conclusão ou ano de início e término.

Veja dois exemplos:

  • Ensino médio completo — Escola Estadual Padre João (concluído em dezembro de 2017).

  • Curso de Auxiliar Administrativo — Escola Profissionalizante (início em agosto de 2016, conclusão prevista para junho de 2018).

  • Curso de Inglês — Escola (concluído em junho de 2017).

Se você participou de alguma palestra, cursos rápidos ou tem certificados que possam valorizar sua candidatura, não deixe de mencionar isso na parte de “Atividades Complementares”, descritas ao final do currículo. No entanto, lembre-se: descreva somente aquilo que tem afinidade com a área de atuação desejada.

Preencha suas experiências profissionais

Chegou o momento mais temido por alguns. Se você está na busca pelo primeiro emprego, é bem provável que você não possua nenhuma experiência profissional. Nesse caso, o que fazer? É simples. Mesmo que você não tenha ainda um histórico em alguma empresa, você poderá mostrar suas habilidades de outra forma.

Existem algumas maneiras de impressionar os recrutadores. Uma delas é descrever como suas aptidões se aplicam na prática. Se você precisou executar na escola alguma tarefa parecida com a que a vaga exige, por exemplo, apresente esses resultados no seu currículo.

Trabalhos voluntários, em grupo ou apresentações de algum projeto relevante são opções realmente válidas. Faça um breve resumo, três ou quatro linhas são o suficiente, e não minta para tentar aumentar suas chances, ok?

Preocupe-se com a formatação do currículo

As principais dicas para formatar seu currículo são:

  • escolha uma fonte simples e legível. O tradicional é optar pelo estilo de letra em “Arial” tamanho 12;

  • uma página é o suficiente para iniciantes;

  • não inclua fotos no seu currículo, somente quando isso for solicitado pelo recrutador. Nesse caso, não apresente fotografias usando camisetas, óculos escuros, bonés ou decotes;

  • evite utilizar pontos de exclamação, interrogação ou qualquer tipo de figura gráfica no documento;

  • escolha um papel limpo, branco e sem pautas para a impressão;

  • importante: tenha cuidado com os erros de português e, se possível, peça que alguém revise o seu currículo antes de imprimir.

Onde encontrar as melhores opções de vagas?

Com um bom curso de idiomas e devidamente certificado por uma capacitação profissional, chegou a hora de colocar a mão na massa e procurar caminhos para ingressar no mercado de trabalho. A primeira dica é fazer seu próprio networking. Se você não sabe bem o que isso significa, continue lendo — nós vamos explicar tudo!

A palavra networking é um termo estrangeiro que se refere às suas habilidades para montar uma rede própria de contatos profissionais. Com a troca de informações e experiências você poderá começar a fazer sua rede no próprio curso profissionalizante em que estiver matriculado.

Professores, colegas de classe e palestrantes convidados, por exemplo, podem se tornar bons contatos. Além de manter uma certa proximidade com essas pessoas, é legal mostrar que você está disposto a trabalhar e a continuar aprendendo sempre que possível.

Além do networking, a internet também pode ser mágica na busca pelas melhores vagas. Veja dicas de como você pode aproveitar a web para a sua qualificação profissional:

Use as redes sociais a seu favor

Já pensou em usar seu Facebook como uma ferramenta de busca? Além de curtir as publicações e fotos dos seus amigos, experimente entrar em grupos que divulgam oportunidades sérias de trabalho.

Você certamente se surpreenderá com a quantidade de pessoas e até mesmo de recrutadores que aparecem nesses espaços virtuais. Além de grupos voltados para áreas específicas — como comunicação e vendas, por exemplo —, existem páginas que compartilham vagas em geral. Que tal tentar a sorte em uma delas?

Cadastre seu currículo em sites de recrutamento

Sites de recrutamento também são ótimas opções para ajudar você a conseguir o primeiro emprego. Existem websites pagos e gratuitos nos quais você poderá criar um perfil profissional e montar um currículo digital. O interessante é que esse documento poderá ser visto por todas as empresas que visitam essa página.

Confira os principais sites de recrutamento gratuitos:

Brasil Emprego e Profissão

O portal Brasil Emprego e Profissão disponibiliza muitas vagas operacionais e de estágio em todas as regiões do país. Nele você poderá cadastrar seu currículo, candidatar-se gratuitamente nas oportunidades oferecidas e ser convocado para entrevistas diretamente pela plataforma.

Vagas.com

Esse é um portal bastante usado atualmente. Com uma interface simples, ele oferece oportunidades que ficam classificadas em empregos temporários, vagas para candidatos com necessidades especiais e programas de estágio e trainee.

O legal é que a página ainda disponibiliza um teste para traçar seu perfil psicológico (importante para as empresas recrutadoras), dicas de carreira e comportamento profissional.

Infojobs

O Infojobs também é uma boa opção para pesquisar as oportunidades do mercado de trabalho. Grandes empresas — como Walmart, Lojas Leader e McDonald’s — anunciam nesse portal. Por isso, não deixe de fazer seu cadastro gratuito na plataforma.

Assim como os demais websites, o Infojobs apresenta vagas para candidatos com diferentes especialidades e níveis de escolaridade.

Site Nacional de Empregos

Apesar de não ser um portal de recrutamento em si, o Sine funciona como uma espécie de “classificados”, reunindo online uma coletânea de vagas de emprego em todo o Brasil. O registro dos candidatos também é gratuito, confiável e democrático.

Pesquise vagas em empresas de RH

Outro modo de pesquisar pelo primeiro emprego é buscando oportunidades nas próprias empresas de Recursos Humanos. O Grupo Selpe, por exemplo, é referência nacional no recrutamento e seleção de menores aprendizes, estagiários, trainees e profissionais de nível técnico.

Outra empresa similar é a RHBrasil Recursos Humanos, que já atua no mercado há mais de vinte anos. Esses são os melhores locais para encontrar oportunidades de trabalho e, quem sabe, conquistar o primeiro emprego. Elabore um currículo de qualidade (já demos as dicas!) e divulgue seu perfil.

Quais as opções de emprego para jovens?

Atualmente, existem três alternativas principais para um jovem que busca o primeiro emprego. Dependendo da sua idade, você poderá se tornar um Menor Aprendiz, um estagiário ou participar de programas voltados para a formação de trainees.

Se você não pode fazer faculdade no momento, a melhor opção é tornar-se um Menor Aprendiz ou estagiário. Além de explicar como funcionam esses processos, a seguir falaremos um pouco mais sobre a opção de trainee. Leia e entenda!

Menor Aprendiz

O Programa Menor Aprendiz é um projeto do Governo Federal criado a partir da Lei da Aprendizagem (Lei 10.097/00). Para participar, o jovem deverá ter entre 14 e 24 anos, estar matriculado e frequentando a escola, caso ainda não tenha concluído o ensino médio.

Os programas de aprendizagem são oferecidos por diversas empresas do país. Por meio da capacitação profissional, o projeto tem como objetivo inserir os participantes no mercado de trabalho — estes podem até mesmo seguir carreira dentro da empresa em que estão sendo treinados.

Vale ressaltar que o menor aprendiz pode ser contratado por até dois anos, recebendo uma remuneração para estudar e qualificar-se. Ficou interessado? Então pesquise na internet agora mesmo sobre os programas abertos para este ano!

Estagiário

O estágio é um modelo de trabalho que pode abarcar tanto estudantes do ensino médio quanto de cursos superiores. Quando é contratado, o estagiário pode colocar em prática toda a teoria aprendida nas salas de aula, adquirindo experiência na área em que pretende atuar.

O estagiário não cria vínculos empregatícios com a empresa, mas tem direito a bolsa salário e férias remuneradas de trinta dias a cada doze meses de trabalho. Para a contratação desse tipo de profissional, as organizações contam com o apoio de empresas especializadas em fazer o recrutamento e a mediação nos processos seletivos.

Tenha em mente que o estagiário tem quase os mesmos deveres de um funcionário efetivado. Por isso, esteja preparado para grandes responsabilidades!

Trainee

Diferentemente das opções anteriores, essa modalidade é voltada para jovens recém-formados em cursos superiores. Normalmente os programas de trainees são realizados por empresas de grande porte que buscam jovens com potencial e habilidades para cargos de gestão e liderança.

Esses processos seletivos são amplos e possuem um alto nível de concorrência. Geralmente, os profissionais passam por um período de treinamento intenso para que, a curto e médio prazo, possam assumir uma posição gerencial dentro da empresa.

O programa de trainee costuma ter um tempo de duração média de um ano e os participantes podem receber salário de até R$ 4 mil.

Como portar-se em uma entrevista de emprego?

A hora é agora! Você já produziu um currículo excelente, encontrou boas vagas no mercado, se candidatou e, finalmente, foi chamado para uma entrevista. Normalmente, as entrevistas são conduzidas por profissionais do setor de Recursos Humanos.

Além de recrutadores, esses profissionais também costumam ser psicólogos, pois precisam avaliar todos os detalhes sobre o seu comportamento durante a entrevista. No entanto, não se assuste! Isso é completamente normal. O excesso de nervosismo pode atrapalhar seu desempenho e comprometer sua avaliação.

Para ajudar você nesse momento, separamos algumas dicas de como se comportar durante uma entrevista e aumentar suas chances de contratação. Acompanhe!

Mantenha a pontualidade

Chegar no horário combinado é essencial. O ideal é que você chegue no local cerca de dez minutos antes. Caso algum imprevisto aconteça, é muito importante avisar o recrutador com o máximo de antecedência possível.

Essa atitude demonstra cuidado e respeito com o entrevistador. Por isso, faça o possível para entrar em contato e não deixe de comparecer à entrevista.

Demonstre que está tranquilo

Ao aguardar pela entrevista (na sala de espera, por exemplo), não fique imóvel com aquela cara de paisagem. Sente-se em um lugar confortável, relaxe os ombros e as expressões faciais e tente agir naturalmente.

O ideal é que você fique suficientemente confortável para agir de maneira descontraída, mas sem parecer que você está na sala de casa recebendo os amigos. Entendeu a diferença?

Aproveite o momento para observar o local e a dinâmica do ambiente. Evitar bater os pés, mexer nas mãos e roer as unhas também é recomendado.

Seja receptivo com o entrevistador

Quando o entrevistador chegar, levante-se para cumprimentá-lo com um aperto de mão firme. Sorria, mantenha as feições receptivas e seja amigável. Parece besteira dar esses conselhos, não é? Pode até ser. No entanto, na hora H as pernas podem ficar bambas e você pode nem se lembrar o que significa sorrir.

Manter o contato visual também é muito importante. Enquanto estiver respondendo às perguntas, olhe o entrevistador nos olhos, demonstrando confiança e determinação.

Dica de ouro: leve sempre seu currículo impresso em uma pasta, pois muitos recrutadores pedem durante a conversa. Isso demonstra que você é atento aos detalhes e se preparou para esta entrevista.

Converse de forma clara e objetiva

Seja em uma conversa de quinze minutos ou de uma hora, não deixe de ser claro e objetivo nas suas respostas. Mantenha uma boa fluência verbal, evite gírias e vícios de linguagem, exponha suas ideias com serenidade e fale sobre você de forma simples. Se ficar nervoso, não perca a calma. Respire fundo e assuma o controle.

Fale sobre suas experiências profissionais e projetos sempre enfatizando os pontos comuns ao cargo que você deseja ocupar. Também esteja atento ao que não falar durante a entrevista! Você não vai querer deixar escapar algo sem querer, vai?

Mostre que está interessado

Prepare-se para a entrevista, busque informações básicas sobre a empresa no próprio site ou nas redes sociais oficiais.

Além de mostrar-se aberto e preparado para a entrevista, deixe que o entrevistador conduza a conversa naturalmente. Dessa forma, você poderá se adaptar e conseguir flexibilidade nas respostas. Apesar disso, demonstre que está realmente interessado no que ele está dizendo.

Ao final da entrevista — ou quando o profissional de RH der abertura para isso —, esclareça suas dúvidas ou peça para saber mais sobre a vaga ou sobre o momento atual da empresa. Questionar sobre as próximas etapas do processo seletivo também é uma atitude inteligente e que mostra interesse da sua parte.

Evite os principais erros cometidos pelos candidatos

Mesmo quem já está acostumado com entrevistas está sujeito a falhas no percurso. Você, como iniciante, pode ter a chance de conhecer e evitar os principais erros que a maioria das pessoas comete ao disputar uma vaga de emprego.

Veja quais são esses equívocos e mantenha-se longe deles — afinal, alguns podem ser considerados faltas eliminatórias no processo seletivo:

  • deixar o celular ligado durante a entrevista;

  • mascar chicletes ou balas ao longo da conversa;

  • vestir-se com roupas muito curtas ou desconfortáveis;

  • usar acessórios barulhentos, como pulseiras ou colares;

  • ir à entrevista de boné ou bermuda;

  • exagerar na dose de perfumes e maquiagens;

  • falar como um tagarela;

  • ficar silencioso como um túmulo;

  • mentir sobre as experiências profissionais;

  • sair da entrevista sem se despedir do entrevistador.

Recapitulando: por onde começar?

Nossa! Quanta coisa você aprendeu até aqui! Neste guia prático para conseguir o primeiro emprego você viu que conquistar uma chance no mercado de trabalho não é um bicho de sete cabeças, mesmo que você ainda não tenha nenhuma experiência profissional.

Para ter sucesso, tudo o que você precisará fazer é continuar sua busca por boas qualificações para destacar-se da concorrência e alcançar seus objetivos. Para não ter erro, que tal relembrarmos rapidamente as seis principais dicas citadas até aqui?

  1. Cursos profissionalizantes e um segundo idioma são essenciais para preparar-se para o primeiro emprego.

  2. Um currículo excelente deverá ter seus dados pessoais, informações de contato, objetivos profissionais, formação acadêmica, experiências (mesmo que sejam só no meio acadêmico), informações complementares e uma formatação adequada.

  3. Montar sua rede de contatos e cadastrar seu currículo em sites de recrutamento gratuitos é fundamental.

  4. Existem três modalidades de empregos para jovens: menor aprendiz, estagiário e trainee. Para você que ainda não tem curso superior, ser jovem aprendiz ou estagiário é o mais viável.

  5. Pontualidade, confiança, receptividade e carisma são características que contarão muitos pontos a seu favor durante a conversa com o recrutador.

  6. Deixar o celular ligado, falar demais, usar roupas inadequadas e mentir sobre suas experiências profissionais são os erros mais cometidos pelos candidatos na hora da entrevista.

E então? Você já se sente mais preparado para encarar o mercado de trabalho e conquistar aquela vaga que tanto deseja? Temos certeza que sim! Siga nossas orientações práticas e não tenha medo de se arriscar. É provável que você descubra novas habilidades e perceba que é muito mais capaz do que pensava.

Se você gostou deste guia e quer continuar recebendo outras dicas para conseguir o primeiro emprego, siga a nossa página no Facebook! Nós sempre postamos conteúdos novos e atualizados por lá — fique de olho!

Agora, que tal começar a pesquisar as vagas mais adequadas ao seu perfil? Boa sorte e sucesso!