8 maneiras de melhorar o currículo

8-maneiras-de-melhorar-o-curriculo.jpeg

O currículo é o principal meio de apresentação de um candidato, é o seu cartão de visita ao recrutador. Por isso, é importante melhorar o currículo o máximo possível, mantendo-o bem redigido e com as informações organizadas, uma vez que esses itens costumam ser determinantes para o convite de um candidato até uma entrevista. 

No entanto, nem sempre é fácil ter um bom currículo. É difícil resumir todas as habilidades de uma pessoa em apenas uma ou duas páginas. O processo se torna ainda mais difícil se considerarmos o pouco tempo de análise que os recrutadores dedicam a cada currículo. 

Assim, para conquistar a vaga pretendida, o currículo deve conter poucas palavras e cativar o empregador. Contudo, é importante ressaltar que, para impressionar o recrutador, não basta apresentar um currículo que segue as normas de apresentação, é preciso que ele tenha conteúdo de qualidade.

São esses dois fatores que vão fazer com que você seja chamado para uma entrevista. Quer saber como aliá-los para melhorar o currículo e dar o primeiro passo em busca da vaga dos sonhos? Então confira nosso post! 

1. Melhore o conteúdo do currículo

O conteúdo do currículo está relacionado ao nível de empregabilidade de um candidato, a suas experiências profissionais anteriores, sua formação escolar, seus cursos, conhecimento em línguas — como o inglês  e informática.  Dessa forma, para melhorar o nível de empregabilidade, o candidato pode realizar:

Cursos de curta duração

Segundo especialistas, cursos que tenham alguma aplicação prática costumam ser bem vistos e aceitos pelos recrutadores. Assim, a dica para quem já está inserido no mercado de trabalho é buscar um curso que esteja ligado à área em que a pessoa já atua e necessita de aprofundamento. Isso permitirá que o candidato complemente sua experiência e suba alguns degraus na carreira.

Por outro lado, caso seja novo no mercado de trabalho, o ideal é focar em um curso que esteja relacionado à carreira em que você pretende atuar ou com a qual possui afinidade.

Escolher um curso pensando nesses itens é uma ótima forma de direcionar a carreira e atingir um objetivo.

Trabalho voluntário

É comum que algumas pessoas realizem trabalho voluntário para obter benefícios pessoais, como a satisfação de estar ajudando um necessitado. No entanto, esse tipo de trabalho acabou se tornando um diferencial na hora da contratação, principalmente em grandes empresas, onde a concorrência costuma ser maior.

Nesse contexto, possuir um trabalho voluntário no currículo pode abrir portas no mercado de trabalho e ser decisivo no momento da contratação, visto que, entre dois candidatos semelhantes, as empresas tendem a escolher aquele que possui experiência com voluntariado.

Além disso, esse tipo de trabalho é uma ótima forma de agregar conhecimento quando se é jovem e ainda não ingressou no mercado de trabalho. Assim, caso decida realizar o voluntariado, lembre-se de que qualquer trabalho solidário é válido, mas, se for possível ter uma atividade relacionada à área de interesse, tanto melhor.

Cursos de idiomas

Com a globalização, a necessidade de possuir conhecimento em línguas deixou de ser um diferencial e passou a ser uma obrigação. Hoje, o mínimo que se espera de um candidato é nível intermediário em inglês. Por isso, é fundamental ao menos ter conhecimento da língua inglesa para competir por uma vaga nas grandes empresas. Afinal, ninguém quer perder a vaga dos sonhos por não falar uma língua, não é verdade?

2. Verifique se o currículo foi bem redigido

Erros gramaticais e de ortografia não são tolerados pelos recrutadores durante uma seleção. Quando se trata dos erros de digitação, é comum que o candidato seja descartado também, pois o selecionador passa a ter imagem de que a pessoa é um profissional desatento a detalhes.

3. Utilize Palavras-Chave

Se você se candidatou em um site de empregos, precisa saber que eles funcionam com sistemas automáticos. Para aparecer na busca dos recrutadores, é necessário colocar palavras que possam identificar suas experiências, como: os nomes dos sistemas com que trabalhou e as atividades exercidas de acordo com a área. Ao utilizar palavras-chave, você estará aumentando as chances do seu currículo ser encontrado pelos filtros de busca.  

4. Tome cuidado com as redundâncias

É comum que as pessoas possuam uma sessão denominada de “habilidades” no currículo, entretanto, nem sempre é uma boa ideia mantê-la, pois, é provável que você acabe citando-as novamente no momento em que for falar da sua função nos empregos anteriores.

Portanto, é necessário estar atento e tomar cuidado com esse tipo de informação. Dê preferência para as descrições de experiências e habilidades específicas, como a proficiência em uma língua. Do contrário, o recrutador entenderá que o seu currículo é apenas mais do mesmo.

5. Formato do currículo

Embora alguns especialistas afirmem que a maneira correta de descrever as experiências profissionais ou as habilidades é seguindo uma certa ordem cronológica, não é necessário se manter preso a ela. Afinal, o seu objetivo é mostrar as suas habilidades da melhor forma possível, e isso inclui formatar o currículo ao seu favor, ou seja, de acordo com o seu perfil.

Se você tiver um tipo de trabalho que exija criatividade, como designer, redator, decorador, por exemplo, é vantajoso apresentar um currículo em formato mais inovador. Por outro lado, se você troca bastante de emprego, o ideal é não formata-lo em ordem cronológica. Se esse é o seu caso, dê preferência para as experiências que mais se relacionam àquela vaga. 

6. Destaque os nomes importantes

Na hora de preencher o currículo, é importante não deixar de destacar informações como o nome da escola, do curso de idioma, do curso profissionalizante ou da universidade em que você estudou.

Nesse contexto, se você tiver ficado desempregado por um período, é inteligente preenche-lo com cursos ou outros afazeres, lembrando sempre de identificar as instituições onde as tarefas foram realizadas. Além disso, não se esqueça de deixar claro onde já trabalhou, essa informação é muito importante para o empregador.

7. Preste atenção aos detalhes

Alguns detalhes podem fazer a diferença na hora da contratação:

  • O e-mail: deve ser profissional, portanto, não inclua números ou palavras além do seu nome. Caso queira ou precise incrementar, usar a sua profissão na nomenclatura pode ser uma boa pedida;
  • Número de telefone: ainda que você possua mais de um número de telefone, dê preferência para um em específico. Opções demais podem atrapalhar o contato do recrutador que pode acabar desistindo de te contatar.

8. Não minta no currículo

Por fim, não minta em seu currículo. Sabemos que o currículo é o ponto de partida para a contratação, certo? Então nada de colocar informações falsas nele. Lembre-se que elas podem manchar sua reputação perante a empresa e impedir que você seja cotado para um cargo no futuro.

Curtiu nosso post sobre as maneiras de melhorar o currículo? Quer ficar por dentro de mais conteúdos como esse? Então curta nossa página no facebook e se mantenha atualizado!