Notícias

Diga não ao Bullying

Bullying, um assunto, uma palavra, uma polêmica, uma ação.  Bullying é um termo que procede do dicionário inglês, deriva da palavra bully, que significa “valentão”. Nos últimos tempos, a prática do bullying é um dos assuntos que está mais e voga na sociedade, principalmente nas escolas. É um assunto polemico que deve ser tratado com muito cuidado e atenção na tentativa de ser erradicado.

E você sabe o que é o Bullying? Esta prática caracteriza-se por toda e qualquer ação repetida, agressiva e intencional que caracterize violência psicológica ou física, causada por uma ou mais pessoas, esta prática tem como objetivo agredir e humilhar uma pessoa, sem chance de defesa. A vítima que sofre o bullying teme o seu agressor devido a ameaças ou, até mesmo, a concretização de atos de violência, e por isso muitas vezes se omite frente ao problema.

O bullying se divide em duas categorias: o direto e o indireto. O bullying direto caracteriza-se, por ser praticado pelo sexo masculino, principalmente, já o indireto é mais comumente praticado pelo público feminino e infantil, caracteriza-se, geralmente, por atos de isolamento, indiferença e difamação.

Este tipo de prática ocorre há muito tempo e em todo mundo, e pode ocorrer em diversos locais como: universidades, empresas, escolas, e até mesmo no ambiente familiar. E ainda hoje, em muitos locais, estes eventos são considerados habituais e normais e podem ser negligenciados ou ignorados. Porém, atualmente há uma maior preocupação sobre o assunto através da educação e da conscientização das pessoas de erradicar e combater, fortemente, a prática do bullying.

Como identificar o bullying? Um exemplo fácil de identificar são os apelidos pejorativos criados com o intuito de rebaixar e humilhar a vítima, além de ameaças, agressões físicas e psicológicas, roubos, atos que geram mal estar, entre outros. As ações, geralmente, podem ser consequentes de desenvolvimento emocional ou físico, diferença de idade, tamanho, entre outros.

O que o bullying pode ocasionar? Pode desencadear nas pessoas que sofrem as agressões sérios problemas, principalmente psicológicos, como: fomentação se sentimentos negativos, baixa autoestima, a vítima pode, também, desenvolver comportamentos considerados hostis e agressivos e, a vítima até mesmo pode cometer suicídio, nos piores casos.

E você sabia que praticar bullying infringe princípios constitucionais e civis? Constitucionalmente a prática do bullying fere o Código Civil e o princípio do respeito á dignidade da pessoa humana e determina que seja indenizável toda prática ilícita que cause danos á outra pessoa.

Conheça alguns comportamentos que podem evitar ou interromper atos de bullying.

  • Identifique o agressor. Se você esta passando por esta situação identifique e denuncie o agressor;
  • Procure ajuda. Se você sofre bullying converse, não sinta medo ou culpa, solicite ajuda.
  • Não guarde magoas e frustrações;
  • Ensine e tenha respeito às diferenças;
  • Ensine e dê bons exemplos;
  • Converse, e com atenção escute reclamações e sugestões, porém filtre;
  • Não fique omisso, e incite outras a pessoas a não ficarem omissas;
  • Reconheça e valorize as pessoas e a si mesmo;
  • Estimule e pratique lideranças positivas;
  • Aos pais, ensinem e dê exemplo aos seus filhos que é através de dialogo que os problemas se resolvem;
  • Aos pais, conversem com seus filhos, façam parte da educação dentro e fora de casa, participem da vida dos seus filhos;
  • Desenvolva e siga regras disciplinares;
  • Respeite os outros como você gosta de ser respeitado.

Texto: Fernanda Beatriz Sauer / Maylise Brunetto